Conheça o Pacu

0

Nome: Pacu

Nome científico: Piaractus mesopotamicus

Água doce ou salgada: Doce

Família: Caracídeos

Características: Conhecidos também como Pacus-Caranha e Caranhas, somente perdem em porte, na bacia do Prata, para Dourados, dentre os peixes de escama nativos. Atingem pouco mais de 80 cm e 10kg e existem relatos de exemplares com até 20 kg. As principais diferenças para as demais espécies da subfamília Mylenae são a nadadeira anal com menos de 27 raios, ausência de um espinho pré-dorsal e os primeiros raios das nadadeiras maiores que os medianos. As cores variam do castanho ao cinza-escuro, conforme a época do ano. Na época da cheia, quando eles entram em campos alagados, escurecem e empalidecem ao permanecerem nas calhas de rios, principalmente os de água branca. O ventre vai do esbranquiçado ao amarelo ouro. Às vezes, o dorso pode apresentar tons de roxo ou azul escuro.

Hábitos: Seus hábitos alimentares variam de acordo com a época do ano e a oferta de comida. Consomem preferencialmente frutos, folhas, moluscos (caramujos), crustáceos (caranguejos) e até pequenos peixes, além de outros itens. Podem ser encontrados nas calhas principais de rios, dentro de corixos, vazantes e matas inundadas no período em que as águas sobem. Espécie típica de piracema, migra para áreas adequadas para reproduzir, crescer e desenvolver larvas.

Curiosidades: Não são capazes de subir quedas d’água com grandes desníveis e isso os torna típicos de regiões de planícies. Assim como Curimbatás, Dourados e Pintados, produzem grande quantidade de ovos e larvas, liberados na água e abandonados a sua própria sorte. Por isso, somente alguns – geralmente menos de 1% do total desovado – chegam à idade adulta. Não há distinção aparente entre machos e fêmeas, exceto a granulação da superfície da nadadeira anal na época da desova.

Onde encontrar: Podem ser encontrados nas bacias Amazônica, Araguaia/Tocantins e do Prata. Vivem em campos alagados, corixos, lagoas marginais e também podem ser encontrados em calhas principais de rios, em poços próximos a margens. Escondem-se habitualmente sob a vegetação nativa, como camalotes (união de aguapés que formam espécies de ilhas paradas nas margens). Algumas vezes, são achados boiando no meio de lagoas e até mesmo, com menos freqüência, suspensos nas correntezas de rios.

Dicas para pescá-lo: Na natureza, é muito importante que os Pacus acomodem as iscas na boca para então fisgar com firmeza, pois têm bocas muito duras que dificultam a penetração de anzóis; Verifique sempre se seus anzóis estão afiados e se o empate de aço não está demasiadamente desgastado, o que pode provocar perdas; Em pesque-pague, estão entre os maiores desafios. Há locais somente para arremessos de longa distância que possibilitam capturas; Em todos os casos, use varas mais longas, pois a alavanca proporciona fisgadas mais potentes e maior penetração dos anzóis.

Comente sobre esta Pesca!

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Curta nossa FanPage

Canal do Youtube Fanáticos

Error type: "Forbidden". Error message: "The request cannot be completed because you have exceeded your quota." Domain: "youtube.quota". Reason: "quotaExceeded".

Did you added your own Google API key? Look at the help.

Check in YouTube if the id UConhoTdPLmWEYejdxecZMFg belongs to a channelid. Check the FAQ of the plugin or send error messages to support.

Últimos comentários

Flickr

    Fique por Dentro das Novidades

    Assine nosso Feed e fique por dentro de tudo o que acontece aqui no Fanáticos por Pesca. Aqui sua Pesca acontece...e aparece!